12 de mar de 2011

Texto Instrucional - Produção de Receitas para fazer máscaras - Newton Reis e FAB

"A verdadeira viagem de descobrimento não consiste em procurar novas paisagens, e sim em ter novos olhos"
Marcel Proust












História das Máscaras
No Ocidente, a máscara foi utilizada primeiro na Grécia Antiga, todos os anos, durante as festividades de Dionísio, o deus do vinho e da fertilidade. Como o vinho vem do suco da uva, e tem de ficar pelo menos três meses fechado num recipiente para ficar pronto, essas festas aconteciam logo depois que se abriam os barris produzidos no ano anterior. Nessa data, todos bebiam, cantavam e dançavam. Dizem que essas festividades dos povos antigos deram origem ao carnaval. Nas cerimônias para o deus Dionísio, por exemplo, usava-se a máscara e acreditava-se que ele estaria presente entre as pessoas durante a festa.
O teatro é a arte que explorou frequentemente a magia das máscaras. No Japão, por exemplo, utilizam-se máscaras no palco até hoje para marcar bem as características dos personagens. Em muitas culturas ditas primitivas da África, da América e do Oceano Pacífico, as máscaras são usadas em cerimônias religiosas. São feitas de diversos materiais naturais como madeira, fibras, palhas, barro, chifres, conchas, plumas, peles de animais, pedras, tecido ou espiga de milho, entre outros. Em algumas tribos indígenas, por exemplo, cabe aos índios mais idosos usá-las durante rituais para curar doentes, espantar maus espíritos ou celebrar casamentos e ritos de passagem - cerimônias nas quais os meninos e as meninas do grupo passam da infância para a idade adulta.
Hoje em dia, ainda utilizamos máscaras em festas. Uma das datas em que elas aparecem é o Dia das Bruxas, Halloween, comemorado no dia 31 de outubro, principalmente nos Estados Unidos. Nesse dia, as pessoas usam máscaras e fantasias inspiradas nos filmes de terror e saem às ruas com a intenção de assustar os outros. Outra festa de máscaras bastante marcante acontece em fevereiro, no Brasil. É o Carnaval, quatro dias de alegria durante os quais os foliões se fantasiam e usam máscaras para brincar e dançar.









10 de mar de 2011

Carnaval na Vida Escolar



EMEF.General Newton Reis - 3ªC
EE.Força Aérea Brasileira - 3ªA
Professora Olívia

"Todos os dias devíamos ouvir um pouco de música, ler uma boa poesia, ver um quadro bonito e, se possível, dizer algumas palavras sensatas."
(Goethe)

Proposta de atividades

Orientação: Pro Olívia
Alunos envolvidos: 3ªA -FAB; 3ªC -Newton Reis
Colaboração: Familiares e equipe escolar
Combinado para desenvolvimento de atividades
Diálogo, reflexão, importância da alegria para estudar
Produto Final: Carnaval da alegria na Escola
Pesquisas sobre o Carnaval

Gêneros diversificados para a leitura dos deveres
Entrevista com os pais ou familiares
Hipertextos
Curiosidades
Confecção de Máscaras
Produção de texto instrucional - Receita
"Para fazer uma máscara", escrita, leitura, revisão
Marchinhas de Carnaval:
Leitura, canto, diálogo, pontos de vista
Produção de Marchinhas para criar o Bloco da turma 3ªA ; 3ªC
Leitura, revisão, canto e escolha da Marchinha
Confecção de instrumentos para a bateria do bloco - dever de casa
Ensaio do Bloco carnavalesco
Produção em dupla ou trio de texto poético - Tema: Carnaval
Escolha de títulos, planejamento dos versos, estrofes, rimas,etc.
Escrita, leitura, revisão e passar a limpo para o painel.
Grito de Carnaval do Bloco na Escola com Marchinha escolhida e Marchinhas do tempo das vovós, bisavós, tataravós....


Carnaval da alegria, coletivo, na Escola - Produto Final realizado com muita alegria.


*

História do Carnaval no Brasil
O carnaval chegou ao Brasil em meados do século XVII, influenciado pelas festas carnavalescas que aconteciam na Europa. Em países como a França, o carnaval acontecia em forma de desfiles urbanos, ou seja, os carnavalescos usavam máscaras e fantasias.
Embora de origem europeia, muitos personagens foram incorporados ao carnaval brasileiro, como, por exemplo, Rei momo, pierrô, colombina, etc.
Os primeiros blocos carnavalescos, cordões e os famosos cortejos de automóveis (corsos) surgiram. Mas tornaram-se mais populares no começo do século XX. As pessoas decoravam seus carros, fantasiavam-se e, em grupos, desfilavam pelas ruas das cidades, dando origem aos carros alegóricos.
O carnaval tornou-se cada vez mais popular no século XX, e teve um crescimento considerável neste período, que ocorreu em virtude das marchinhas carnavalescas (músicas que faziam o carnaval mais animado).
A primeira escola de samba foi criada no dia 12 de agosto de 1928, no Rio de Janeiro, e chamava-se “Deixa Falar”.
Anos depois, a escola mudou seu nome para Estácio de Sá. A partir deste momento o carnaval de rua começou a ganhar um novo formato. Com isso, no Rio de Janeiro e São Paulo, começaram a surgir novas escolas de samba. Organizadas em Ligas de Escolas de Samba, iniciaram os primeiros campeonatos para constatar qual escola de samba era a mais bela e animada.
A região nordeste permaneceu com as tradições originais do carnaval de rua como, por exemplo, Recife. Já na Bahia, o carnaval de rua conta com a participação dos trios elétricos, embalados por músicas dançantes, em especial pelo axé.
Carnaval - Brasil Escola


*


Cuidados com o Corpo Durante o Carnaval
O carnaval é uma festa comemorada em todo o país. São dias de muita alegria e agitação e, diante disso, é preciso tomar certos cuidados.
Normalmente muitas pessoas que pulam carnaval não fazem nenhuma atividade física durante o decorrer do ano e o organismo não é preparado para um ritmo mais acelerado. Essas pessoas precisam de mais cuidados, pois o exagero na hora da folia pode causar problemas.
A época do carnaval está na estação mais quente do ano, o verão, isso deve ser fonte de algumas preocupações como:
- Aplicar protetor solar no corpo para prevenir queimaduras, insolação e câncer de pele;
- Ingerir bastante líquido para não desidratar o corpo, moderar o consumo de bebidas alcoólicas que ressecam a pele, dá sede, dor de cabeça, náuseas, hipertensão arterial, diarreia entre outros;
- Tomar cuidado com máscaras ou outros acessórios que podem dificultar a respiração, pois pode trazer fadiga;
- Ficar atento a penas e plumas, pois podem provocar alergia respiratória;
- A maquiagem deve ser usada com moderação, pois pode causar alergia, irritação na pele, infecções nas pálpebras, lesões nas córneas, dermatite de contato, descamação da pele, bolhas, pruridos entre outros.
O importante é hidratar bem o corpo, ingerindo muita água, sucos naturais, água de coco, chás gelados e fazer uma boa alimentação à base de massas para produzir energia; cereais para prevenir a prisão de ventre; saladas com muitas verduras e legumes, de preferência crus para ajudar na reposição de água e outros nutrientes; e bastante frutas, que ajudam na digestão e repõem vitaminas e outros. Evite alimentos gordurosos que diminuem o processo de digestão.


Antes de cair na folia, faça alguns exercícios de alongamento e relaxamento para evitar distensões e outras complicações mais graves.
Site educativo e de pesquisa: Carnaval - Brasil Escola

* Agradecemos a todos que estiveram conosco e incentivaram na realização da proposta.
*Autorização de registro fotográfico e vídeo na primeira Reunião de Pais com objetivo de acompanhamento e incentivo aos filhos.