3 de set de 2009

Independência é ter amor e lutar com dignidade

Independência, liberdade de refletir, ampliar o conhecimento e conquistar um mundo mehor.















"A educação é a mais poderosa arma pela qual se pode mudar o mundo."

[ Nelson Mandela ]




























































Independência ter amor e conquistar os seus objetivos
Independência do Brasil
Sobre o contexto de independencia do Brasil é preciso dizer que ele se insere em meio a uma nova fase política de Portugal, em que ele teve de abrir mão dos altíssimos lucros obtidos através do sistema colonial, para fundar um novo conceito de nação brasileira. devido à fuga da Família Real para o Brasil, que patrocinada pelos ingleses, veio se abrigar no Rio de Janeiro. A Inglaterra foi fundamental nesse processo e financiou a fundação de instituições muito importantes, entre elas, o Banco do Brasil, o Jardim Botânico e a Biblioteca Nacional. Assim, ela começou a ganhar força política e passou a pressionar os portugueses, para que eles abolissem a escravatura e tornassem o Brasil um país independente. O objetivo, era fazer com que o novo país se tornasse seu cliente. Com a partida de D. João VI para Portugal, em 1821, por não haver mais o perigo de Portugal ser invadido por Napoleão Bonaparte, fica no trono brasileiro, seu filho primogênito, D. Pedro I, que pressionado por pressões externas (de Portugal, inclusive) proclama o Brasil, um país independente. Essa pressão, se baseia no fato de as outras nações do continente americano já serem independentes e com isso, além de abrir um novo mercado. Os portugueses também queriam o retorno do herdeiro de seu trono.
Os primeiros países a reconhecerem a independencia do Brasil, foram México e Estados Unidos. Para não sair no prejuízo, os portugueses exigiram que D. Pedro I pagasse uma indenização. A Inglaterra se ofereceu para pagar a tal indenização de 2 milhões de libras esterlinas. Com isso, reconheceu a independencia do novo país e o ganhou como cliente. Nascia assim, a nossa divida externa.



É isso. Beijos.
Luana Alves Soares Professora de História

Nenhum comentário: